Improvisando

02/10/2011

De tanto olhar soluções de decoração utilizando materiais inusitados em blogs e revistas sobre o assunto, fiquei com vontade de entrar para esse feliz grupo de pessoas que reaproveitam objetos para outros fins senão o original para o qual foi concebido. E foi passeando pela praia onde eu veraneio – balneário Rincão – que achei, no lixo de um supermercado, duas caixas de fruteira em ótimas condições. Joguei pra dentro do porta-malas e fui embora feliz.

Tive, como idéia inicial, utilizá-las como prateleiras no meu quarto, já que aqui na praia não tenho esse luxo. Mas foi na hora do aperto, com parentes chegando e minha mãe dando ataque de pelanca porque a casa não estava florida como deveria, que finalmente me veio à mente o destino promissor que as caixas teriam: Floreiras!

E foi assim, com a ajuda de um spray anti-cupim Jimo (R$16), uma lata de Osmocolor transparente com FPS (R$30), cantoneiras (R$5 cada), pincel, parafusos, buchas, furadeira e, claro, meu pai André, que transformei essas caixinhas em lindas e floridas floreiras. As mudas comprei em uma agropecuária e paguei R$20 por 30 unidades. Não sei o nome da flor, mas é algo tipo uma boca-de-leão. Sobrou muita tinta e muito Jimo, então guardei para usar em alguma outra aventura com madeiras.

Minha mãe ficou feliz, as visitas adoraram e agora o jardim está mais completinho. Ficou fofo quando os tomatinhos-cereja da minha mãe nasceram e enfeitaram esse cantinho de vermelho, junto com o colorido das minhas flores.

Charmosa e barata!

Realmente, dá para animar a casa gastando muito pouco.

Anúncios

Dias de Chuva

01/22/2011

O dia chuvoso de hoje me inspirou para escrever este post (Aproveitando que agora tenho internet na minha casa de praia, posso ter o privilégio de escrever e publicar em seguida!).

Quando estamos cansados, nada melhor do que um final de semana chuvoso para passar longas tardes embaixo do edredon curtindo o barulhinho da chuva, assistindo a um filme e comento aquela pipoca. Mas… E quem não está cansado, como fica? Se você é daquele tipo super ativo, que não agüenta ficar sentado no sofá esperando a chuva passar – como eu – aqui vão 6 dicas do que fazer para o tempo passar mais rápido!

1. Arrume Tudo. Isso mesmo. Não digo fazer faxina, porque faxina com chuva ninguém merece… Falo em colocar ordem no armário, nas gavetas, nas prateleiras, separando tudo o que você não for mais usar, tudo o que não serve (e continuará não servindo), e tudo o que estiver puído (principalmente calcinhas, cuecas, meias e camisetas). Aproveite também para dar aquela geral nos armários do banheiro, jogando fora produtos vencidos e embalagens vazias. A reportagem da revista Casa Cláudia de Dezembro, Ano Novo, Casa Nova, dá dicas preciosas de arrumação e purificação ambiental.

2. Faça um chá. Com a correria do dia-a-dia, as vezes esquecemos de tirar um tempo para meditar e descansar a mente. Acompanhe a água fervendo, escolha o chá que mais lhe agrada, observe a infusão, a água mudando de cor… Depois escolha um lugar calmo, e, em silêncio, deguste o chá. Chimarrão também serve… É um santo remédio, acalma e acalenta qualquer coração.

3. Chame os amigos para um café da tarde. Acho que isso funciona melhor com as mulheres ou com os gays, mas homens também podem. Prepare uma mesa com diversas delícias, inclua bolinhos de chuva para entrar no clima (minha mãe sempre fazia quando chovia na praia e eu e minha irmã ficávamos aterrorizando dentro de casa), compre ou asse bolos e sirva-os acompanhados de geléias, doce de leite, mel, melado e nata. Ofereça bebidas quentes e frias. Espere para passar o café quando as pessoas estiverem chegando, para que o aroma traga sensação de aconchego para os convidados. Além de aproveitar para colocar o papo em dia, o anfitrião receberá muitos elogios pelo carinho e pelo charme e sabor do café oferecido. Portanto, capriche e aprecie todo o sabor dos quitutes sem remorso por sabotar a dieta. Amanhã você malha!

4. Jogue. Vale tudo: Baralho, dominó, Jogo da Vida, Perfil, Imagem & Ação, Banco Imobiliário, bocha em cancha coberta. O importante é juntar os amigos e dar muita risada.

5. Volte à infância. Se estiver calor, coloque uma roupa velha, pegue a bicicleta e faça o que você não faz desde os 12 anos (eu fiz ano passado): Passe na casa dos amigos e vá juntando aquela gangue de bicicletas, espalhando o terror na chuva, passando a mil pelas poças de água sem se importar em estragar o cabelo, o tênis ou a dignidade. Só se importe em rir e ser feliz.

6. Atualize seu blog. Enquanto eu escrevia, vejam só… A chuva passou!