Viajando

10/26/2010

Antes de qualquer coisa, quero reclamar. Eu sempre deixo pra depois meus posts, e quando resolvo me movimentar já acumulou tanta coisa que eu nem sei por onde começar (como já diria CPM 22).

Bom, seguindo com o que interessa, estou de volta depois de duas semanas na estrada. Fui pro XIX ELEA Brasília – Em Busca da Terra do Nunca – que aconteceu entre os dias 09 e 16 d Outubro. Foi bom eu ir pra acabar com o último vestígio de admiração imaginária que eu tinha por essa cidade. Eu não entendo… Como pode, Jusce? Como pode, Lucio? Niemeyer, eu nem pergunto, pois vindo de ti eu espero qualquer coisa. Aquela cidade é o mármore (asfalto) do inferno, a frigideira de Satanás, pegadinha do malandro. Niguém consegue viver lá, aquilo é um reality show muito do sem graça. A minha amiga Dani Piazza teve uma insolação ao atravessar aquela calçadinha entre a Catedral e o Museu Nacional, e com isso já dá pra imaginar o frescor da nossa capital nacional. Fora isso, o encontro foi ótimo!

Depois de lá fui pra São Paulo participar da III Construtech, promovida pela editora PINI. Aproveitei para visitar minha irmã Ana e meus tios emprestados, Nila e Laércio. Graças a eles tive a oportunidade de conhecer um senhor muito querido, o Eng. Adriano Guidotti, pai do renomado arquiteto André Guidotti. O que me encanta em Sampa é essa possibilidade de conhecer pessoas interessantes e importantes, em seu habitat natural, se é que me entendem. Todo mundo muito à vontade, vivendo sua vida, enquando gente como eu, reles mortal, fica abestalhada olhando e pensando: “…que legaaaaal”

Além dos passeios e pessoas maravilhosas, SP também ofereceu muitas novidades pra minha área profissional, que espero poder utilizar logo.

Meu vôo de volta foi para Florianópolis, e no caminho eu e meu pai decidimos almoçar na Praia do Sonho, um pouco antes da Guarda do Embaú. Ainda não conhecíamos, e foi uma surpresa. Fica pro próximo post!